15 de setembro de 2008

Agulha no Palheiro

Tem me intrigado há algum tempo a expressão “como procurar agulha num palheiro”. Nunca entendi muito bem esse ditado. Sempre tive pavor de injeções e, obviamente, também de agulhas, por ter sido uma criança sempre meio doente e constantemente “convencida” a ser tratado com as famosas “picadinhas”. Uma vez, quando tinha uns oito anos, saí de casa escondido e permaneci “fugido” por quase uma hora por ter confundido um vendedor qualquer que bateu na porta de casa (antigamente existiam vendedores de rua) com o cara que aplicava as injeções. Acredito que, também por isso, subconscientemente, nunca gostei de palheiros ou paióis ou qualquer coisa que acumulasse palha. Sempre imaginei tais lugares repletos de agulhas ocultas; um inferno!
Depois de algum tempo, quando me tornei mais reflexivo um pouco, comecei a me perguntar o que justificaria a presença de uma agulha num palheiro, e aí me veio a resposta óbvia, porém oculta sob a distorção cognitiva dos ditados populares e lugares comuns: procurar agulha num palheiro não significa uma tarefa difícil, somente, mas também (e na maioria das vezes) procurar algo no lugar errado.
Minha tese parece inútil, e talvez até seja mesmo, mas quantos de nós não ouvimos frases relacionando a busca da “mulher/homem ideal”; do “político honesto”; do “apartamento perfeito” à expressão “como encontrar agulha num palheiro”?
Bom, não vou gastar muito tempo nisso, até mesmo porque esse tema, embora inútil, geraria variantes infinitas relacionadas ao significado do termo “agulha”, do termo “palheiro”, etc. Penso que agulha num palheiro é improvável, quando não impossível, então, procurar agulha num palheiro é buscar no lugar errado, e não somente tentar algo muito difícil. Significa que já passou da hora de mudar o ambiente de procura.
E, por incrível que pareça, essa conclusão me deixou um pouco mais feliz. Trauma de infância é fogo...

Obrigado pela paciência de lerem isto até o fim...

7 comentários:

letyleal disse...

Me senti uma vencedora de ter lido até o fim mesmo.....
Ainda bem que você agradeceu!!! Estímulos positivos pra esse tipo de tarefa são essenciais...
Mas sabe? Nunca pensei nisso...agulha no palheiro...
Pra mim sempre pensei que alguém estava costurando no celeiro e perdeu a agulha DE COSTURAR num palheiro ali perto....
Fazia sentido demais pra mim...mas faz sentido essa estória IMENSA aí também.

salamandra disse...

Müller...
Toda essa história me fez pensar...
O que significa então "estar no mato sem cachorro"? Ou pior: "pernas pra que te quero"????
Meu Deus!!!

Coconut Candy disse...

Eu estou procurando minha agulha no palheiro, meu peixe fora d'água, meu filho-da-puta em dia das mães... Quem sabe eu esteja procurando no lugar certo, sendo que deveria procurar no lugar errado? Hum....

jacs disse...

Nossa vcs fazem um drama tipico de novela sobre um assunto tão sacramentado da nossa cultura brasileira. È logico a agulha no palheiro foi um castigo dado por uma vovó muito má a seus netinhos levados. Vovó disse:

- Como punição vcs vão procurar uma agulha dentro deste Paiol cheio de Palha.

O sentido da historia é logico, vcs vão procurar ate cansarem pq sera impossivel achar essa tal agualha.

e tenho dito.

letyleal disse...

Essa estória existe mesmo? Eu nunca escutei...

Pleo disse...

caraca, do que vcs estao falandoo afinal? q lance é esse de agulha com cachorro, pernas.. papo bravo.

entao to postando isso pra prestigiar mesmo..

kk

bjo pras minas abraço pros mano

Müller disse...

obrigado, gente... os comentários salvaram o post que era meio chato mesmo...